Home / Esporte (página 3)

Esporte

Handebol realiza primeiros testes de controle de dopagem em competições oficiais nacionais

Pela primeira vez na história foram realizados testes de controle de dopagem em evento oficial de handebol brasileiro. Durante as partidas finais da Copa Brasil Masculina, disputadas em Maceió, em Alagoas, 16 atletas foram testados. O material foi obtido no último fim de semana pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), que intensificou nos últimos meses a luta contra a dopagem no esporte nacional.

Com cerca de 40 anos de história esportiva no país, a modalidade iniciou os testes graças à parceria entre a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) e a ABCD. O trabalho conjunto tem duas frentes. Realizar coleta de material para ser submetido aos exames laboratoriais, além de promover o trabalho de conscientização nas categorias de base, voltado para informação e prevenção.

Para o presidente da CBHb, Manoel Luiz, os testes são importantes para o desenvolvimento das equipes e, por consequência, das seleções brasileiras. “Os exames trazem a credibilidade e a segurança na revelação de novos jogadores. Esperamos que a parceria com a ABCD sirva para manter o esporte limpo e conscientizar os atletas para manter a pureza e valorização do próprio esforço, para crescer dentro das regras e da ética”, ressaltou o dirigente.

A Copa Brasil Masculina contou com a coleta de material com padrão internacional, adotada nas principais competições mundiais de handebol. Em cada partida, foram testados quatro atletas sorteados na súmula, dois de cada equipe. Foram testados os jogadores que disputaram as quartas, semifinais e final.

“O handebol brasileiro entrou no nosso plano de distribuição de testes. É fruto da parceria por meio de acordo de cooperação entre as entidades, porém a confederação não sabe quais partidas serão feitos os exames de controle de dopagem. Estamos satisfeitos com as ações e cooperações que realizamos com as confederações, pois reforçam o nosso trabalho na busca pelo jogo limpo”, explicou o secretário nacional da ABCD, Rogério Sampaio.

O dirigente do handebol frisou que a novidade foi bem aceita pelos jogadores. “Os atletas estão aceitando, porque a questão da dopagem legitima o resultado esportivo. O Ministério do Esporte tem sido um parceiro especial do handebol brasileiro. Essa ação que vem sendo executada pela ABDC é importante para dar credibilidade ao esporte nacional. Nós somos uma das modalidades que mais tem jogadores que recebem o benefício do programa Bolsa Atleta. O jogo limpo é extremamente importante para a evolução da modalidade”, acrescentou Manoel Luiz.

Campeão da Copa Brasil

O título da Copa Brasil Masculina foi conquistado pelo América Handebol Clube (AL). Após um belo duelo contra o Português/AESO (PE), a equipe alagoana levou a melhor em casa, com o placar de 26 a 25 (14 a 10 no primeiro tempo). O destaque da partida foi o jogador João Paulo (do América), que marcou oito gols. A medalha de bronze ficou com o Carajás Handebol Clube (PA), que venceu o BPE/Santa Cruz (PE), por 21 a 17 (10 a 8).

Breno Barros

Ministério do Esporte
Assessoria de Imprensa

Conheça a historia do ciclista codoense Domingos Renilson que corre pelo estado do Pará

O sangue, a raça e a determinação do codoense são os componentes importantes para o Brasil, na luta por medalhas no ciclismo de pista que ele disputado pelo Brasil a fora .

Domingos Renilson, um atleta que vem marcando presença constante no mundo da magrela. Ele tem  muitas histórias e conquistas importantes. A característica mais marcante desse atleta é a sua facilidade para escalar subidas de alto nível de dificuldade. No Ciclismo  é muito competitivo devido a sua ativa habilidade.

A  Equipe Codo Noticias, conversou com esse atleta que abriu um pouco conosco para dividir  o que mais marcou sua jornada até hoje e sobre quais são as perspectivas que pretende constituir ao seu futuro.

CN : Há quanto tempo pratica ciclismo?
Domingos Renilson:4 anos
CN: Como surgiu o ciclismo na sua vida?
Domingos Renilson:Através de um Professor chamado Renato ai ele me indicou o irmão da funerária econômica Francisco Araújo que também e atleta e ele veio me ajudando em treinamentos me levava pra outros lugares para competir e dai que fui me desenvolvendo na carreira de ciclismo como atleta.
CN: Qual é o conselho que um ciclista com sua experiência pode deixar a um jovem que queira ingressar nesse esporte?
Domingos Renilson:Meu conselho que venho aqui dar aos jovens da cidade de Codo e do Brasil todo que procure a praticar um esporte, porque o esporte é tudo é saúde e Vida que não se envolva com drogas, mar companhia isso aqui que vivo hoje é uma maravilha viajar pra outros estados competindo conhecendo pessoas legais conhecendo o mundo.
CN: Se pudesse escolher um momento em toda sua carreira para voltar a viver, qual seria?
Dominmgos Renilson: Quando venci a corrida de São Sebastião em Codó
CN: Acha que o ciclismo será um esporte com mais história e reconhecimento no futuro?
Domingos Renilson: Sim o ciclismo mudou totalmente minha vida, nunca vou me arrepender de ter escolhido esse esporte que apesar de ser tão  desvalorizado no Brasil.
CN: Qual a vitória mais importante da sua carreira, e por que foi a mais importante?
Domingos Renilson:Todas minhas vitórias foram importante na minha vida e sempre é pra agradar minha Rainha minha Mãe que comprou minha primeira bicicleta de competição.
CN: Há algum objetivo que tenha planeado na sua vida que queira ainda conquistar?
Domingos Renilson: Meu plano e chegar a uma equipe lá Fora
CN: Para as pessoas que não o conhecem, como se descreve como pessoa ? E como atleta?
Domingos Renilson:Sou uma pessoa que sempre quero o bem do próximo sempre ajudando com incentivos como me ajudaram bastante não quero o mal de ninguém sempre o bem.
CN: Como é sua preparação em rigor aos treinos? Quem realiza seu acompanhamento profissional?
Domingos Renilson: Os treinos são muito importante a fazer e Junto com minha nova equipe CLUBE AMAZONIA DE CICLISMO venho fazendo os treinos específicos as competições.
CN: Como é pra você ser um codoense e defender um estado com o Pará?
Domingos Renilson:Pra mim e bom isso apesar de ser um codoense e esta representando outro estado e porque não tive apoio do meus estado!! Mais é bom isso eu creio que o pessoal tem orgulho de ter um atleta do estado competindo lá Fora!!!

CN: Deixe sua mensagem.

Domingos Renilson: Quero agradecer a minha família, amigos que me apoia todos os dias na minha carreira como atleta e também Ou CLUBE AMAZONIA DE CICLISMO por ter me dado a oportunidade de esta participando da equipe.

Nossa equipe agradece o carinho e paciência que você Domingos Renilson tem conosco. Sucesso na sua jornada , que a cada novo dia seu talento possa concretizar uma nova história nessa caminhada belíssima em seu mundo fascinante pelo ciclismo. E obrigado desde já por aceitar o nosso convite.

Entrevista realizada por Jeferson Abreu.

Terceiro Lugar no Aniversario de Paraguaminas

Primeiro Lugar no Aniversario de Pedreiras

Primeiro Lugar da II Copa Pará de Ciclismo

Primeiro Lugar da Copa SEEL Belém

Primeiro Lugar da Segunda e Primeira Etapa da Copa Pará de Ciclismo

Primeiro Lugar no Aniversario de Pedreiras

Primeiro Lugar na Corrida de São Sebastião em Codó

Quarto Lugar no Desafio Internacional da Serra do Tepequem Roraima

Terceiro Lugar na Copa SEEL categoria Elite

Atleta codoense é medalha de prata no Norte Nordeste de Jiu-Jitsu em Belém

Neste último fim de semana, mais um codoense brilhou em uma competição de jiu-jitsu, a nível nacional, na capital paraense. Trata-se de Hernanyrlle lutou o norte nordeste em Belém-Pa e obteve a prata em sua categoria.

Hernanyrlle luta pela equipe De La Riva da Casa da Luta tem como professores  Prof Léo Gladson e Raimundo Freitas.

Jiu-Jitsu é um esporte que vem crescendo aos poucos no município,no inicio era mais adultos hoje o que vemos é crianças praticando esses esporte que esta crescendo.

O lema da casa da Luta é Nosso Foco é Jesus Cristo.

Troféu Norte-Nordeste Caixa começa nesta sexta-feira no Recife com a participação do José Carlos ” Codó”

São Paulo – Com a participação de 232 atletas, representando 13 Federações Estaduais, será disputada nesta sexta-feira (dia 19) e sábado (20) a 41ª edição do Troféu Norte-Nordeste Caixa de Atletismo, no Centro Interescolar de Educação Física Alberto Santos Dumont, no Recife, em Pernambuco.

As atividades da competição começam logo às 8:30, com a realização do Congresso Técnico, quando deverá ser feita a confirmação da participação dos atletas por prova. A reunião acontecerá no auditório do Santos Dumont, que fica na Rua Almirante Nelson Fernandes, S/N, em Boa Viagem.

Já as provas começam às 14 horas desta sexta, com a disputa da semifinal dos 110 m com barreiras, logo após a realização da Cerimônia de Abertura. A última prova do evento está marcada para sábado, às 17:30, com a final dos 10.000 m feminino.

Entre os atletas confirmados no Troféu Norte-Nordeste Caixa, destaque para três que fizeram parte da equipe olímpica brasileira nos Jogos do Rio 2016: os velocistas Bruno Lins e José Carlos Moreira, o Codó, inscritos por Piauí, e a marchadora Cisiane Dutra Lopes, representante de Pernambuco.

Além de Piauí e Pernambuco, têm atletas no evento os Estados de Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins.

A entrada nas arquibancadas do Santos Dumont é gratuita para o público

No ano passado, no 40º Troféu Norte-Nordeste, disputado em Fortaleza, no Ceará, Pernambuco manteve a hegemonia na competição, conquistando 31 medalhas, sendo 11 de ouro, 9 de prata e 11 de bronze. Piauí ficou em segundo lugar, com 25 pódios (11 de ouro, 8 de prata e 6 de bronze), seguido do Rio Grande do Norte, com 26 (4 ouros, 10 pratas e 12 bronzes).

Mais informações no hot site da competição:

http://www.cbat.org.br/competicoes/nortenordeste/2017/default.asp

Campeonato 4×4 de voleibol 2017 teve Schin como grande campeão

Schin: campeão do campeonato de voleibol 4×4 2017

Em 2011 publiquei neste mesmo blog, uma matéria com o título: A decadência do voleibol codoense. De lá pra cá, pouca coisa mudou. Continuam os mesmos abnegados da modalidade, tentando desenvolver o voleibol, com competições existentes praticamente só nos Jogos Escolares e com pouquíssimas equipes.

Em meio a todo este caos que passa o voleibol codoense, foi realizado no ginásio Carlos Fernando no período aproximado de um mês, sempre aos sábados e domingos, o Campeonato 4×4 de Voleibol Adulto Masculino.

O evento foi idealizado pelo desportista Isaías, que responde pela LICOV (Liga Codoense de Voleibol), e teve total apoio da Superintendência de Esporte, comandada por Júnior Goiabeira. Porém a competição apresentou muita desorganização, como:

Equipe G: vice-campeã

– não distribuição de regulamento e tabelas;
– falta de divulgação nos meios de comunicação;
– não cumprimento dos horários, tendo equipes que chegaram a esperar até uma hora pelos adversários;
– falta de troféus na premiação;
– disputa na categoria 4×4 quando deveria motivar a disputa por sexteto que é a categoria oficial do voleibol, dando assim sequência aos atletas advindos das categorias infantil e infanto.

Fora isso, foi dado um primeiro passo no intuito do ressurgimento do voleibol codoense, pois a LICOV está tentando sair da inércia, o Superintendente de Esporte já prometeu a realização do campeonato codoense masculino e feminino, e nós, Professores de Educação Física, motivando a prática da modalidade nas aulas de Educação Física e com os treinamentos de equipes escolares, dentre em breve poderemos ter melhores notícias e resultados do “rico-pobre” voleibol codoense.

Afanador: 3º colocado

O pódium do campeonato 4×4 de voleibol ficou assim definido com as seguintes premiações:

– Campeão: Schin – medalhas e 500 reais;

– Vice: Equipe G – medalhas e 300 reais;

Fredson Ricardo – CREF 217/g-PI

 

Em dia de homenagens, Chapecoense é goleada pelo Atlético Nacional e perde título da Recopa

Quase seis meses depois da tragédia aérea que vitimou 71 pessoas em Medellín, Atlético Nacional, da Colômbia, e Chapecoense se encontraram para jogar uma final continental. Não foi pela Copa Sul-Americana, como ocorreria no ano passado, mas sim pela Recopa. Foi um dia de emoção, com o reencontro dos quatro brasileiros sobreviventes com o povo colombiano, homenagens às vítimas e outros atos que duraram até o apito inicial. Na decisão, acabou dando o time da casa. Vitória por 4 a 1, no estádio Atanasio Girardot.

Assim, o time de Medellín sagrou-se campeão do torneio, restando a Chapecoense um honroso vice-campeonato internacional. O time catarinense não conseguiu aproveitar a vantagem construída em casa, quando venceu por 2 a 1.

Foi a primeira vez que um time colombiano venceu a Recopa. Eram três vices-campeonatos nas três participações de clubes do país neste torneio – em 1990, com o Atlético Nacional; em 2005, com o Once Caldas; e em 2016, com o Santa Fe.

O Atlético fez dois no primeiro tempo, com Dayro Moreno, logo no primeiro minuto, e Ibargüen, aos 34, e dois na etapa final, quando os marcadores se repetiram: Moreno, aos 22, e Ibargüen, aos 38. A Chapecoense descontou com Túlio de Melo, aos 37.

Foi assim o primeiro tempo. O Atlético Nacional dominou o meio de campo e não deu chances para a Chapecoense ficar com a posse de bola. Além disso, os colombianos demonstraram muita velocidade na transição das jogadas, chegando sempre ao ataque.

A Chapecoense demonstrou-se perdida em alguns momentos.

A prova maior disso é que o primeiro gol dos mandantes saiu logo no primeiro minuto. Dayro Moreno foi lançado na grande área e chutou cruzado. O goleiro Artur Moraes falhou e deixou a bola passar facilmente entre seu corpo. Era um chute defensável.

O segundo gol saiu aos 34, após domínio atleticano. Macnelly Torres cobrou lateral rapidamente e deu a bola para Ibargüen, na área. O atacante recebeu e finalizou com muita qualidade, estufando a rede da Chapecoense novamente.

  • 2º tempo atleticano

A Chapecoense teve uma boa chance de diminuir o placar no segundo tempo, mas Arthur Caíke não contava com a intervenção do zagueiro Henríquez. Após o brasileiro tirar do goleiro e concluir ao gol, o defensor conseguiu tirar a bola embaixo da trave.

Mas o lance foi enganoso. O Atlético Nacional foi melhor.

Aos 22, o time fez o terceiro. Moreno marcou após uma linda jogada de Ibargüen, que driblou Apodi na ponta-esquerda, e cruzou na área. Antes do gol sair, Rodríguez ainda acertou um leve desvio de cabeça na bola, facilitando a finalização do companheiro.

Depois, aos 34, Ibargüen foi lançado no ataque. Dominou a bola, venceu a marcação de Douglas Grolli e encobriu o goleiro, apesar de ter escorregado durante o chute.

O gol de honra da Chapecoense foi marcado por Túlio de Melo. Aos 37, ele recebeu dentro da grande área, girou e bateu na saída do goleiro Armani.

Mas o tento não chegou a animar o time da Arena Condá. Seria preciso marcar mais dois para levar a partida para prorrogação. Para piorar, a equipe perdeu Andrei Girotto expulso, aos 43. Ele fez uma falta dura e recebeu o cartão vermelho.

ESPN

Sobreviventes vão a Medellín com a Chape e se emocionam com recepção

Pouco mais de cinco meses depois de protagonizar a maior tragédia da história do futebol, a Chapecoense voltou a Medellín Nesta segunda-feira, o elenco do clube catarinense desembarcou na cidade colombiana para a segunda partida da decisão da Recopa Sul-Americana, diante do Atlético Nacional, quarta-feira, no Estádio Atanásio Girardot.

Mas não foram apenas os integrantes do elenco da Chapecoense que viajaram com o clube nesta segunda. Sobreviventes do acidente aéreo de novembro do ano passado, Jackson Follmann, Alan Ruschel, Neto e o jornalista Rafael Henzel desembarcaram no Aeroporto Internacional José María Córdova e foram recebidos com muita festa pelo povo colombiano.

“Voltar a este país tão querido me remete a diversas memórias, sendo uma delas o meu renascimento. Renasci na Colômbia, em torno de um misto de sentimentos. Minha gratidão será eterna! Gracias, Colômbia”, escreveu Follmann em sua página no Instagram

O ex-goleiro também postou um vídeo no qual mostrava a recepção de crianças e funcionários do aeroporto a ele e Alan Ruschel. Um pouco depois, Rafael Henzel e Neto desembarcaram com a mesma festa, recebidos por aplausos. Todos eles viajaram acompanhados de seus familiares.

Como aconteceu quando o Atlético Nacional chegou a Santa Catarina, para a disputa da primeira partida da final, o elenco da Chapecoense também foi recebido com honrarias, inclusive com um carro de bombeiros jogando água no avião do clube brasileiro, em sinal de boas-vindas.

Follmann, Alan Ruschel, Neto e Rafael Henzel foram os únicos brasileiros sobreviventes do acidente aéreo que deixou 71 mortos, sendo boa parte deles integrantes da delegação da Chapecoense, em novembro do ano passado. Henzel já voltou a exercer seu ofício de jornalista, enquanto Neto e Ruschel lutam para retomar a carreira. Já Follmann teve a perna direita amputada.

Corinthians, Flamengo, Atlético-MG e Chape são campeões estaduais; veja resumo

Cássio levanta a taça do 28º título Paulista do Corinthians, o primeiro na Arena

Em mais um tradicional domingo de futebol, foram conhecidos os campeões dos principais campeonatos estaduais do Brasil. Corinthians, Flamengo, Atlético Mineiro, Chapecoense, Coritiba, Vitória e Goiás são alguns dos times que soltaram o grito já no início da temporada de 2017.

Confira abaixo como foram as decisões dos estaduais pelo Brasil com um breve resumo de cada partida do Paulistão, Carioca, Mineiro, Paranaense, Catarinense, Baiano e Goiano. Teve até campeão decidido somente nos pênaltis.

Campeonato Paulista

Jogo de ida: Ponte Preta 0 x 3 Corinthians, no Moisés Lucarelli
Jogo de volta: Corinthians 1 x 1 Ponte Preta, na Arena Corinthians

O Corinthians entrou em campo com uma vantagem enorme, a maior entre os principais estaduais, e, 40 anos depois da lendária decisão de 1977 contra a própria Ponte Preta, conquistou o seu 28º título Paulista.

Após um primeiro tempo amarrado, Jadson aproveitou saída de bola errada de Fernando Bob e achou Romero livre. O paraguaio chutou, Aranha defendeu, mas no rebote ele não desperdiçou e abriu o placar. Com Marllon, aos 40, a Ponte ainda empatou a partida, mas já era muito tarde. Final: Corinthians campeão e festa dos mais de 46 mil torcedores presentes na Arena.

Campeonato Carioca

Jogo de ida: Fluminense 0 x 1 Flamengo, no Maracanã
Jogo de volta: Flamengo 2 x 1 Fluminense, no Maracanã

O Fluminense precisava de pelo menos um gol para levar a decisão para os pênaltis e começou a partida com tudo. Logo aos três minutos, Henrique Dourado, o ceifador, aproveitou bola cruzada na área e fez para o tricolor carioca.

Boas chances foram criadas para ambos os lados ainda na primeira etapa, mas só no segundo tempo a bola balançou o barbante do Maracanã novamente. Aos 39, Gabriel cobrou escanteio, Réver ganhou de Henrique e cabeceou para boa defesa de Cavalieri, na sobra, porém, estava Guerrero, que fuzilou de pé esquerdo para deixar tudo igual.

Autor de um dos gols, Guerrero comemora título pelo Flamengo

Com 1 a 1, o Flamengo já era campeão, mas com o Fluminense todo no ataque, o rubro-negro ainda virou a partida com Rodinei, aos 50 minutos, em rápido contra-ataque. Ainda deu tempo do goleiro do Flu ser expulso após falta em Rodinei. Final: Flamengo campeão pela 34ª vez para mais de 68 mil torcedores no Maracanã.

Campeonato Mineiro

Jogo de ida: Cruzeiro 0 x 0 Atlético-MG, no Mineirão
Jogo de volta: Atlético-MG 2 x 1 Cruzeiro, no Independência

O Atlético-MG começou o clássico contra o Cruzeiro com a vantagem de poder empatar para ser campeão, já que teve melhor campanha. Mas Fred e Robinho parecia que não sabiam disso. Logo aos 12 minutos, o camisa 7 recebeu do centroavante dentro da área e só empurrou para o fundo do gol.

No segundo tempo, Ábila, muito ligado, aproveitou cruzamento de Rafinha, dominou no peito, girou e finalizou com muito estilo, de voleio para deixar tudo igual. Aos 24, Elias jogou água no chope e esfriou as chances cruzeirenses, que precisavam virar a partida para ser campeão. Final: Atlético-MG campeão estadual pela 44ª vez.

Campeonato Gaúcho

Jogo de ida: Internacional 2 x 2 Novo Hamburgo, no Beira-Rio
Jogo de volta: Novo Hamburgo 1 (3) x (1) 1 Internacional

O Novo Haburgo surpreendeu ao empatar com o Internacional no primeiro jogo em pleno Beira-Rio e começou a partida decisiva com tudo. Logo aos 21 do primeiro tempo, Ernando tentou afastar, mas fez contra a própria meta. A reação do colorado veio só no segundo tempo.

Novo Hamburgo derrotou o Internacional nos pênaltis e se tornou Campeão Gaúcho pela primeira vez 2017

Logo aos três minutos, D’Alessandro recebeu na direita e cruzou, após disputa, a bola sobrou para Rodrigo Dourado estufar as redes. A partida terminou empatada e a decisão foi para os pênaltis e aí brilhou a parte azul em Caxias do Sul. Com três pênaltis desperdiçados, entre eles o do camisa 10, o Inter foi superado por 3 a 1 e não conseguiu o heptacampeonato estadual. Bom para o Novo Hamburgo, que pôde gritar campeão pela primeira vez na história.

Campeonato Parananese

Jogo de ida: Atlético-PR 0 x 3 Coritiba, na Arena da Baixada
Jogo de volta: Coritiba 0 x 0 Atlético-PR, no Couto Pereira

Após vencer a primeira partida por 3 a 0 fora de casa, o Coritiba foi recebido pelo seu torcedor com muita festa e já com uma mão na taça do Campeonato Paranaense. Em boa parte do primeiro tempo controlou as ações e a melhor chance dos rubro-negros veio apenas aos 45 minutos.

Na etapa final, o Furacão foi pra cima e o Coxa se fechou, não deixando que o rival furasse a boa defesa. A melhor chance foi aos 32 com cobrança de falta de João Pedro. Final: Coritiba, pela 38ª vez, campeão Paranaense.

Campeonato Catarinense

Jogo de ida: Avaí 0 x 1 Chapecoense, na Ressacada
Jogo de volta: Chapecoense 0 x 1 Avaí, na Arena Condá

O elenco da Chapecoense campeão Catarinense de 2017

Pouco mais de cinco meses depois da tragédia que matou parte do elenco campeão estadual de 2016, a Chapecoense voltou a conquistar um título. Após vencer o primeiro jogo contra o Avaí por 1 a 0, o Verdão do Oeste fez valer o regulamento e, apesar de ser derrotado pelo mesmo placar, se tornou bicampeão pela primeira vez em sua história.

O gol do Avaí foi marcado por Leandro Silva, aos 27 do primeiro tempo, mas foi só. Pela sexta vez, a Chapecoense conquistou o título do Campeonato Catarinense, para a alegria dos torcedores e de todos que ajudaram na reconstrução de um dos times mais amados do Brasil.

Outros estaduais

Em outros estaduais pelo Brasil, o Goiás, que havia vencido o Vila Nova na partida de ida por 3 a 0, conseguiu uma vitória mínima na partida de volta no Serra Dourada para conquistar o terceiro título goiano consecutivo. Já na Bahia, o Vitória, time de melhor campanha, segurou o 0 a 0 no Barradão – na partida de ida o empate havia sido por 1 a 1 – e conquistou, de forma invicta, o título baiano de 2017. No Sergipe, o Confiança conquistou o título e em Pernambuco o Sport empatou com o Salgueiro na partida de ida da final do estadual local. A volta acontecerá no dia 18 de junho.

Equipe do São Raimundo vence nos pênaltis e é a campeã da Copa União Interbairros

Na tarde do último sábado (6) aconteceu a grande final da Copa União Interbairros, a primeira edição da gestão Mais Avanço, Mais Conquistas. No Estádio Municipal Renê Bayma a disputa ficou entre as equipes do bairro São Pedro e do São Raimundo, da região da Trizidela. O público prestigiou o evento e lotou as arquibancadas. Dentre as autoridades estavam presentes o Superintendente de Esporte, Goiabeira Júnior, o Secretário Municipal de Governo, João de Deus, o Diretor do SAAE, Evimar Barbosa, o ex-prefeito Zito Rolim e o Prefeito de Codó, Francisco Nagib.

Dentro das quatro linhas a disputa foi bem equilibrada. A equipe do São Pedro abriu o placar e conseguiu manter a vantagem até o segundo tempo. Mas antes do fim da partida a equipe do São Raimundo deixou tudo igual e conseguiu levar a disputa para as penalidades. Por 3 X 1 o São Raimundo sagrou-se campeão da Copa União Interbairros, com muitos méritos para o goleiro Antônio Evandro.

De acordo com o superintendente de Esporte, Goiabeira Júnior, o sucesso da competição é fruto do trabalho compromissado da administração municipal e da paixão dos codoenses pelo futebol e o esporte. “É uma competição muito especial e diferenciada, que integra os atletas e moradores de nossos bairros de Codó. Uma competição que dá à todos a oportunidade de mostrar novos talentos que temos em nossas comunidades. Quero agradecer o total apoio do prefeito Nagib, do secretário João de Deus, do público que nos prestigiou sempre e a imprensa, que levou essa festa do esporte aos olhos da população”.

Os destaques da competição foram devidamente homenageados e receberam suas premiações das mãos do prefeito Nagib e demais autoridades. Equipe Campeã – São Raimundo, Vice-campeã – São Pedro. Equipe Disciplinada – São Raimundo. Técnico Campeão, José Adilson, Goleiro Campeão – Antônio Evandro, Maior Artilheiro – Rilcean Sales, todos do São Raimundo. A Premiação Fair Play (jogo limpo) foi para Francisco das Chagas Cantanhede, da equipe São Vicente Polotti.

O prefeito Nagib agradeceu todo o trabalho das equipes responsáveis, parabenizou a todas as equipes e técnicos participantes e avaliou o evento como um grande sucesso. “O codoense é um apaixonado por esportes e principalmente pelo futebol. Isso fica provado hoje aqui, neste sábado de bola rolando, grande final, duas equipes muito fortes e um grande público nas arquibancadas, torcendo com toda vibração. Foi um sucesso. Fico feliz em poder proporcionar a nossos esportistas e nossa população um grande evento como este”.