Home / Política (página 4)

Política

Não param as adesões a candidatura de Wilson Moraes disparada na preferência do povo de Codó

img-20160928-wa0014Em Codó Wilson Moraes (PDT) já é considerado o mais preparado para assumir o executivo municipal. Várias lideranças já declararam apoio à candidatura a vereador. O assunto que mais se fala nas ruas da cidade é que Wilson tem o grande diferencial, por ser um homem popular, gente da gente e expressa o sentimento de mudança que tanto o município almeja.

Em cada caminhada realizada se comprova o que a população vem falando do potencial do candidato a vereador Wilson Moraes em Codó.

Francisco Nagib e Ricardo Torres se encontram com profissionais do ramo da estética

Na noite desta terça-feira, dia 27, o candidato a prefeito de Codó, Francisco Nagib e o candidato a vice Ricardo Torres com o prefeito Zito Rolim e a candidata a reeleição Maria Paz, estiveram reunidos com a classe trabalhadora dos profissionais da Beleza e Estética. Na ocasião, os candidatos falaram sobre suas propostas e projetos de governo e conversaram com os profissionais da área sobre os planos para incentivar o crescimento deste setor na cidade de Codó. “O mercado de cosméticos, estética e beleza é um dos que mais crescem no mundo. o Brasil sempre foi um dos líderes deste crescimento neste setor. Por isso precisamos criar mecanismos de incentivo ao pequeno e médio empreendedor deste ramo“, explicou Nagib thumbnail_img_4144 thumbnail_img_4145 thumbnail_img_4158 thumbnail_img_4169 thumbnail_img_4181 thumbnail_img_4186 thumbnail_img_4195 thumbnail_img_4215

Com grande caminhada, moradores do bairro Codó Novo recebem Francisco Nagib e Caravana do 12

thumbnail__mg_3957Nessa terça-feira, dia 27, o candidato a prefeito de Codó, Francisco Nagib, o candidato a vice prefeito Ricardo Torres, o prefeito Zito Rolim e toda a Caravana do 12 estiveram de volta ao Bairro Codó Novo para uma nova Caminhada da Vitória. Repetindo o grande sucesso da primeira caminhada no bairro, a Onda Azul ganhou volume e partiu pelas ruas, levando uma multidão de codoenses em clima de alegria, esperança e energia positiva.

Mostrando criatividade, bom humor e muita animação, homens, mulheres, idosos e crianças fizeram questão de repetir que estão com Francisco Nagib e Ricardo Torres até a vitória final. A Onda Azul partiu de sua concentração, em frente a Pizzaria Felicita, e percorreu as principais ruas, travessas e Avenidas do Codó Novo.thumbnail_img_4014

A população mais uma vez veio às ruas para garantir que nos apoiam totalmente e que querem um futuro melhor para a nossa cidade. Todos atenderam nosso chamado e se juntaram a Onda Azul. Estamos entrando na semana decisiva e essa demonstração de carinho e apoio total de nossa população é fundamental e imprescindível para nossa vitória no dia dois de outubro. Mais uma vez obrigado a Deus por tudo e toda a população do Codó Novo, que deu um show de alegria e esperança”, finalizou Francisco Nagib    thumbnail_img_3948 thumbnail_img_3985 thumbnail_img_3993 thumbnail_img_3995 thumbnail_img_3999 thumbnail_img_4026 thumbnail_img_4033 thumbnail_img_4038 thumbnail_img_4048 thumbnail_img_4080 thumbnail_img_4090

Partidos Políticos do Brasil Principais partidos políticos brasileiros, história política brasileira, fundação, ideais defendidos

partidosAtualmente, a legislação eleitoral brasileira e a Constituição, promulgada em 1988, permitem a existência de várias agremiações políticas no Brasil. Com o fim da ditaduramilitar (1964-1985), vários partidos políticos foram criados e outros, que estavam na clandestinidade voltaram a funcionar.  Na época do Regime Militar, a Lei Falcão estabeleceu a existência de apenas duas legendas: ARENA(Aliança Renovadora Nacional) e o MDB(Movimento Democrático Brasileiro).  Enquanto a ARENA reunia os políticos favoráveis ao regime militar, o MDB reunia a oposição, embora controlada. Felizmente, esse sistema bipartidário não existe mais e desde o início da década de 1980, nosso país voltou ao sistema democrático com a existência de vários partidos políticos. Veja abaixo a relação dos principais partidos políticos em funcionamento na atualidade e suas principais idéias e características e sua posição em relação ao governo comunista:

PDT – Partido Democrático Trabalhista – aliado
Criado em 1981, o PDT resgatou as principais bandeiras defendidas pelo ex-presidente Getúlio Vargas. De tendência nacionalista e social-democrata, esse partido tem como redutos políticos os estados do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Nestas regiões,  tem o apóio de uma significativa base eleitoral popular. A principal figura do PDT foi o ex-governador Leonel Brizola, falecido em 2004. O PDT defende como idéia principal o crescimento do país através do investimento na indústria nacional, portanto é contrário às privatizações.

PC do B – Partido Comunista do Brasil – comunista
Fundado em 25 de março de 1922, o Partido Comunista do Brasil foi colocado na ilegalidade na época do regime militar (1964 a 1985). Mesmo assim, políticos e partidários do PC do B entraram nas fileiras da luta armada contra os militares. O PC do B voltou a funcionar na legalidade somente em 1985, durante o governo de José Sarney. Este partido defende a implantação do socialismo no Brasil e tem como bandeiras principais a luta pela reforma agrária, distribuição de renda e igualdade social. A principal figura do partido foi o ex-deputado João Amazonas.

PR – Partido da República – aliado
Criado em 24 de outubro de 2006 com a fusão do PL (Partido Liberal) e PRONA (Partido da Reedificação da Ordem Nacional). O Partido Liberal entrou em funcionamento no ano de 1985, reunindo vários políticos da antiga ARENA e também dissidentes do PFL e do PDS. O partido tem uma proposta de governo que defende o liberalismoeconômico com pouca intervenção do estado na economia. Outra importante bandeira dos integrantes do PR é a diminuição das taxas e impostos cobrados pelo governo.

D E M – Democratas – Antigo PFL (Partido da Frente Liberal) – oposição
O PFL foi registrado em 1984 e contou com a filiação de vários políticos dissidentes do PDS. Apoio e forneceu sustentação política durante os governos de José Sarney, Fernando Collor e Fernando Henrique Cardoso. Atualmente faz oposição ao governo Lula. Suas bases partidárias estão na região Nordestedo Brasil, embora administre atualmente a cidade de São Paulo com o prefeito Gilberto Kassab. Em 28 de março de 2007, passou a chamar Democratas (DEM).
Os partidários defendem uma economia livre de barreiras e a redução de taxas e impostos.

PMDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro – aliado
Fundado em 1980, reuniu uma grande quantidade de políticos que integravam o MDB na época do governo militar. Identificado pelos eleitores como o principal representante da redemocratização do pais, no início da década de 1980, foi o vencedor em grande parte das eleiçõesocorridas no período pós regime militar. Chegou ao poder nacional com José Sarney, que tornou-se presidente da república após a morte de Tancredo Neves. Com o sucesso doPlano Cruzado, em 1986, o PMDB conseguiu eleger a grande maioria dos governadores naquelas eleições. Após o fracasso do Plano Cruzado e a morte de seu maior representante, Ulysses Guimarães, o PMDB entrou em declínio. Muitos políticos deixaram a legenda para integrar outras ou fundar novos partidos. A principal legenda fundada pelos dissidentes do PMDB foi o PSDB.

PPS – Partido Popular Socialista – oposição
Com a queda do muro de Berlim e o fim do socialismo, muitos partidos deixaram a denominação comunista ou socialistade lado. Foi o que aconteceu com o PCB que transformou-se em PPS, em 1992. Além da mudança de nomenclatura, mexeu em suas bases ideológicas, aproximando-se mais da social-democracia. Suas principais figuras políticas da atualidade são o ex-governador do Ceará Ciro Gomes e o senador Roberto Freire.

PP – Partido Progressista (ex-PPB) – aliado
Criado em 1995 da fusão do PPR (Partido Progressista Reformador) com o PP e PRP. Tem como base políticos do antigo PDS, que surgiu a partir da antiga ARENA. O PPB defende idéias amplamente baseadas no capitalismoe na economia de mercado. Seus principais representantes são o ex-governador e ex-prefeito Paulo Maluf de São Paulo e o senador Esperidião Amin de Santa Catarina.

PSDB – Partido da Social-Democracia Brasileira – oposição
O PSDB foi fundado no ano de 1988 por políticos que saíram do PMDB por discordarem dos rumos que o partido estava tomando na elaboração da Constituiçãodaquele ano. Políticos como Mario Covas, Fernando Henrique Cardoso, José Serra e Ciro Gomes defendiam o parlamentarismoe o mandato de apenas quatro anos para Sarney. De base social-democrata, defende o desenvolvimento do país com justiça social. O PSDB cresceu muito durante e após os dois mandatos na presidência de Fernando Henrique Cardoso. Atualmente, é a principal força de oposição ao governo Lula.

PSB – Partido Socialista Brasileiro – comunista
Foi criado no ano de 1947 e defende idéias do socialismo com transformações na sociedade que representam a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos brasileiros. Principal representante político : Miguel Arraes.

P T – Partido dos Trabalhadores  – comunista
Surgiu junto com as greves e o movimento sindical no início da década de 1980, na região do ABC Paulista. Apareceu no cenário político para ser uma grande força de oposição e representante dos trabalhadores e das classes populares. De base socialista, o PT defende a reforma agrária e a justiça social. Atualmente, governa o país através do presidente Luis Inácio Lula da Silva. As principais metas do governo Lula tem sido : crescimento econômico, estabilidade econômica com o controle inflacionário e geração de empregos. 

PSTU – Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado – comunista
Fundado em 1994 por dissidentes do PT. Os integrantes do PSTU defendem o fim do capitalismo e a implantação do socialismo no Brasil. Tem como base os antigos regimes socialistas do Leste Europeu. São favoráveis ao sistema onde os trabalhadores consigam mais poder e participação social.

PV – Partido Verde – aliado
De base ideológica ecológica, foi fundado em 1986. Os integrantes do PV lutam por uma sociedade capaz de crescer com respeito a natureza. São favoráveis ao respeito aos direitos civis, a paz, qualidade de vida e formas alternativas de gestão pública. Lutam contra as ameaças ao clima e aos ecossistemas do nosso planeta.

PTB – Partido Trabalhista Brasileiro – aliado
Fundado no ano de 1979, contou com a participação de Ivete Vargas, filha do ex-presidente Getúlio Vargas. No seu início, pregava a volta dos ideais nacionalistas defendidos por Getúlio Vargas. Atualmente é uma legenda com pouca força política e defende idéias identificadas com o liberalismo.

PCB – Partido Comunista Brasileiro – comunista
Fundado na cidade de Niteroi em 25 de março de 1922. Defende o comunismo, baseado nas idéias de Marx e Engels, e tem como símbolo a foice e o martelo cruzados. As cores do partido são o vermelho e o amarelo. É um partido de esquerda, contrário ao sistema capitalista e ao neoliberalismo, defendendo a luta de classes. É também conhecido como “Partidão”.

PSOL – Partido Socialismo e Liberdade – oposição
Fundado em 6 de junho de 2004, defende o socialismo como forma de governo. Foi criado por dissidentes do PT (Partido dos Trabalhadores). É um partido de esquerda, contrário ao sistema capitalista e ao neoliberalismo. Tem como cor oficial o vermelho e como símbolo um Sol. 

PRTB – Partido Renovador Trabalhista Brasileiro– obteve registro definitivo em 18 de fevereiro de 1997. – aliado

PSD – Partido Social Democrático– fundado, por políticos dissidentes do Partido Progressista e Democratas, em 21 de março de 2011. – oposição

PT do B – Partido Trabalhista do Brasil– obteve o registro definitivo em 11 de outubro de 1994. comunista

PTN – Partido Trabalhista Nacional– refundado em 1995. – aliado

PTC- Partido Trabalhista Cristão-obteve registro definitivo em 22 de fevereito de 1990. – aliado

PSL – Partido Social Liberal – obteve registro definitivo em 2 de junho de 1998.  – aliado

PSC – Partido Social Cristão – obteve o registro definitivo em 29 de março de 1990. – aliado

PSDC – Partido Social Democrata Cristão– obteve registro definitivo no TSE em 5 de agosto de 1997. – aliado

PMN – Partido da Mobilização Nacional– fundado em 1984. – aliado

PRP – Partido Republicano Progressista -obtenção do registro definitivo em 22 de novembro de 1991. – aliado

PHS – Partido Humanista da Solidariedade– fundado em 20 de março de 1997. – aliado

PRB – Partido Republicano Brasileiro–  fundado em 25 de agosto de 2005. – aliado

Fonte:  Google/www.suapesquisa.com/partidos

Corte decide sobre candidaturas para prefeitos de São Luís, Paço do Lumiar e São José de Ribamar

Os membros da Corte Eleitoral do Maranhão apresentaram 58 recursos em registros de candidaturas extrapauta para serem julgados nesta terça-feira, 27 de setembro, em sessão extraordinária. A próxima sessão está marcada para as 15h da sexta, 30.

O primeiro processo julgado (RE 135-65) manteve a decisão do juízo da 92ª zona eleitoral que deferiu a candidatura de Gilberto Silva da Cunha Santos Aroso a prefeito de Paço do Lumiar. Por maioria, os membros concordaram ser irrefutável haver nos autos provas de que há condenação de Aroso pelo crime previsto no artigo 90 da lei 8.666/93, mas ocorre que o desembargador Jorge Rachid, no exercício da presidência do Tribunal de Justiça, deferiu pedido para atribuir efeito suspensivo ao Recurso Especial 22.902/2016, impossibilitando a aplicação da inelegibilidade do artigo 1º, alínea “e”, da lei complementar 64/90.

Outros candidatos a prefeito que tiveram as candidaturas julgadas pela Corte foram Júlio César Matos (RE 228-84 São José de Ribamar) e Zé Luis Lago (RE 90-30 São Luís). No primeiro, a decisão foi de manter o indeferimento e o segundo de deferir.

Com os julgamentos desta terça, somam em 332 o número de recursos já julgados de 467 tramitando no TRE-MA. O desembargador Lourival Serejo, presidente, ao abrir a sessão extraordinária, informou que dados do sistema de acompanhamento processual demonstram que faltam chegar mais de 100 recursos, entre eles, 21 em que os interessados são candidatos a prefeito.

Empresário Ricardo Gomes adere a campanha de Francisco Nagib e Ricardo Torres

Na noite desta segunda-feira (27) o candidato a prefeito de Codó, Francisco Nagib com seu vice Ricardo Torres, estiveram presente em reunião na casa Ricardo Gomes e sua esposa Dona Tereza, recebendo o apoio para sua candidatura para prefeito e para o candidato a vereador Dr Rômulo. Na ocasião também estiveram presentes, lideranças políticas, correligionários e convidados. No encontro os candidatos falaram sobre suas propostas de governo e melhorias para Codó.thumbnail_img_3839 thumbnail__mg_3802 thumbnail__mg_3817 thumbnail__mg_3848 thumbnail_img_3744 thumbnail_img_3786 thumbnail_img_3798

Dr. Wellington é recebido com festa pelos moradores de Cajazeiras

Neste último fim de semana o candidato a vereador Dr. Wellington (PCdoB) esteve na Zona Rural do município de Codó, fazendo uma grande confraternização com os amigos e moradores das Localidades da  região de Cajazeiras.

“É desta maneira que precisamos trabalhar. Manter o contato constante com as famílias da zona rural, saber de suas demandas e necessidades mais urgentes e levar os problemas ao poder executivo, por meio de indicações e requerimentos. É nosso dever estar atento a isso tudo e levar ideias e soluções para melhorar a vida do povo” disse Dr. Wellington. img-20160926-wa0034 img-20160926-wa0037 img-20160926-wa0039 img-20160926-wa0040 img-20160926-wa0043 img-20160926-wa0044

8 Passos para escolher bem seu candidato a Prefeito

escolher-seu-candidato-checklistNo período das eleições, todos nós ouvimos falar sobre o quanto é importante escolher bem os candidatos em quem pretendemos confiar nosso voto, afinal, são eles os principais responsáveis pelo futuro da nossa cidade nos próximos anos.

Mas como fazer essa escolha? Como decidir entre tantos candidatos e partidos? Sabemos que não é um processo tão simples. Por isso selecionamos alguns critérios que devem ser levados em conta na hora em que você escolher o seu voto. Veja que questões são essenciais para você decidir quais as pessoas mais indicadas para assumir uma tarefa tão importante.

1) PESQUISE O HISTÓRICO PESSOAL

A primeira coisa a se fazer é obter o maior número de informações sobre o seu possível candidato. Para isso, basta um simples serviço de busca, como o Google, que já é um meio muito prático de se obter as informações necessárias.

Mas é preciso saber escolher boas fontes, que tragam informações confiáveis. Dê preferência para os sites oficiais da Justiça Eleitoral, ou paginas de meios de comunicação mais conhecidos.

Procure se informar sobre o histórico pessoal e profissional do candidato, sua postura ética e a forma com que ele se relaciona com a sociedade. Este é um caminho que vai lhe ajudar a descobrir se o discurso enunciado realmente condiz com a atuação dele em outros momentos da vida, fora do período eleitoral.

Observe também a situação do candidato perante a justiça. Pela internet é possível identificar se há algum processo criminal contra ele. É importante que ele não tenha um histórico de mau uso do dinheiro público ou outras práticas ilegais. Um bom candidato é aquele que respeita a nossa legislação, especialmente aqueles concorrendo a cargos legislativos, uma vez que eles trabalharão diretamente na manutenção das nossas leis.

2) PESQUISE O HISTÓRICO POLÍTICO

Em muitos casos, o candidato nestas eleições ocupa ou já ocupou alguma função parlamentar. Este é um segundo ponto muito importante, já que para saber se o seu candidato irá desenvolver bem esse trabalho, nada melhor do que descobrir como ele desempenhou a função anteriormente.

Caso seu candidato tenha ocupado um cargo legislativo, veja se ele foi um parlamentar ausente, faltando a muitas sessões, que projetos ele apresentou, como ele votou em outros projetos, especialmente aqueles mais polêmicos. O eleitor pode acompanhar estas informações nos portais de transparência das câmaras e assembleias legislativas. O projeto Excelências, desenvolvido pelo Portal Transparência também reúne informações sobre os parlamentares do Congresso Nacional.

Se o candidato exerceu um cargo no poder executivo, analise quais investimentos ele realizou, se foram bem executados, como foi usado o dinheiro público em sua gestão e como as pesquisas de opinião o avaliaram, se com alto ou baixo índice de aprovação. Estas informações também são fornecidas nos portais de transparência, das prefeituras e dos governos estaduais.

Se o candidato está concorrendo a um primeiro mandato parlamentar, veja quais temas ele trata em sua vida profissional. Se ele é médico, que tipo de serviço presta? Se é advogado, atua para quais organizações? A forma com que ele exerce sua profissão é um bom indicador de como ele desempenhará o cargo ao qual está concorrendo.

3) Busque afinidade de pensamento

Outro fator importante é que os seus candidatos possuam os mesmos valores que você, que eles compartilhem do seu ponto de vista ideológico. Lembre-se que ele será o seu representante, portanto, é indispensável que vocês defendam as mesmas causas. Por isso, antes de votar, reflita sobre o que você gostaria de ver ser colocado em prática, e escolha alguém que possua as mesmas prioridades.

4) CONHEÇA O PARTIDO DO CANDIDATO (E A COLIGAÇÃO)

Além de saber sobre o histórico dos candidatos, é necessário conhecer também o passado do partido ao qual ele é filiado. Analise qual é conjunto de ideias que o partido defende, que programa ele tem para a sua cidade. Pesquise também se a legenda tem algum histórico de corrupção ou envolvimento em outros crimes eleitorais. Lembre-se que se o seu candidato for eleito, ele terá que governar seguindo os ideais do partido do qual ele faz parte.

Considere estes mesmos critérios quando for pesquisar os outros partidos da coligação, caso a sigla do seu candidato esteja em alguma. Isso porque em nosso sistema eleitoral, partidos coligados funcionam como um único partido. Nas eleições proporcionais, as coligações influenciam no cálculo do quociente eleitoral, isto é, uma transferência de votos entre candidatos de uma mesma coligação.

Na prática, funciona da seguinte forma: o partido que faz parte de uma coligação não conta somente com os votos destinados ao seu partido, mas também com os votos destinados aos partidos coligados. Os mais votados dessa coligação é que serão eleitos. Assim, o seu voto pode ajudar a eleger candidatos dos outros partidos políticos.

Além disso, a composição das coligações é um bom indicio de quais legendas o partido do seu candidato tem mais afinidade, e com quais partidos ele provavelmente fará alianças caso seja eleito.

5) CONHEÇA AS PROPOSTAS

Depois de conferir o histórico do candidato, chegou a hora de analisar suas promessas de campanha. As propostas devem ser possíveis de realização, bem elaboradas e é preciso constar quais mecanismos serão usados para colocar os projetos em prática, informando de onde será destinada a verba para sua execução. Normalmente, os candidatos disponibilizam suas ideias em suas redes sociais e sites.

Através destes meios, assim como dos atos de campanha, é possível que você os questione sobre temas que sejam do seu interesse. Ao fazer suas perguntas, observe se o candidato fornece respostas genéricas, e se ele foge das questões polemicas. É importante saber de que forma ele se posiciona, e também se ele tem receio de opinar sobre aquilo que você considera importante.

É possível também acompanhar as propostas por meio da propaganda eleitoral gratuita e pelos debates. Assim você pode comparar as promessas que o seu candidato faz com as promessas feitas pelos outros candidatos.

6) ENTENDA AS ATRIBUIÇÕES DE CADA CARGO

Para saber identificar se as promessas do seu candidato são válidas, é preciso que você conheça quais as funções do cargo que ele está disputando. Por exemplo, é necessário entender que um candidato a vereador, caso eleito, terá a função de legislar e fiscalizar o trabalho do prefeito. Se o seu candidato está prometendo realizar obras ou ampliar as vagas em creches, saiba que esta promessa não é válida, pois ambas são atribuições do prefeito. Além disso, as promessas devem ser possíveis de serem cumpridas no período de mandato, que é de quatro anos.

Promessas como esta podem significar duas coisas: ou o candidato não tem conhecimento do cargo que pretende ocupar, ou ele está agindo de má fé, fazendo promessas simplesmente porque ele sabe que dão mais votos. Ambos os casos são sinais de que o candidato não é o mais indicado para assumir uma função tão importante.

7) OBSERVE OS GASTOS DE CAMPANHA

Com a Reforma Eleitoral realizada em 2015, ficou determinado o fim das doações empresariais para as campanhas. Isto implica em uma drástica redução no financiamento das corridas eleitorais. Agora as campanhas dependem somente do Fundo Partidário e das doações de pessoas físicas, desde que dentro de um limite de gastos.

Com a redução das doações, as campanhas deverão ser muito menores do que eram até as eleições passadas. Por isso, o eleitor deve ficar atento. Sinais de que uma campanha está sendo muito cara pode indicar uso de dinheiro indevido, como nos casos de Caixa 2.

8) COBRE UM DIAGNÓSTICO DA CIDADE

Uma outra forma de avaliar o seu candidato é saber se ele tem um bom conhecimento acerca das necessidades do seu município, uma vez que as promessas devem ser baseadas naquilo que a cidade e os moradores precisam.

Observe quais problemas ele considera prioritários, e se esses problemas convergem com aquilo que as enquetes elaboradas pelos institutos de pesquisa afirmam. Se o seu candidato faz um diagnostico errado das necessidades da cidade, é sinal de que ele não está bem preparado para assumir o cargo. É preciso haver compatibilidade entre as necessidades da cidade e aquilo que o candidato propõe.

E você, já decidiu em quem vai votar nas próximas eleições? Usou algum destes critérios ou tem outro para recomendar? Deixe seu comentário!